CONVIDADOS

 

 

O  Crítico e o Professor 

 

 

Fabio Lucas

 

Guiomar de Grammont 

 Guiomar de Grammont é escritora, dramaturga, professora da UFOP, e curadora de eventos literários. Doutora em Literatura Brasileira pela USP, publicou, entre outros, a pesquisa histórica “Aleijadinho e o Aeroplano” (2008), os volumes de contos “Sudário” (2006), “O fruto do vosso ventre” (1994), Prêmio Casa de Las Américas e o romance “Palavras Cruzadas” (2015), Prêmio Nacional de Narrativa do Pen-Clube em 2017. Em seus romances psicológicos e polifônicos, aborda o impacto de tragédias ambientais como a de Mariana e o desaparecimento de presos políticos. Foi editora executiva da Record (2012 e 2013) e curadora da homenagem ao Brasil no Salão do Livro de Paris (2015). Criou e coordena, desde 2005, o Fórum das Letras de Ouro Preto, em 15a edição e desde 2015 é curadora da FLINKSAMPA, Festa da literatura negra de São Paulo.

milton

Milton Hatoum 

Psicanalista, membro da Associação Mundial de Psicanálise da Escola Brasileira de Psicanálise e do Instituto de Clínica do Rio de Janeiro.  Doutora em Teoria Psicanalítica da UFRJ. Coordenadora do Núcleo de Pesquisa Práticas da Letra do Instituto de Clínica Psicanalítica do Rio de Janeiro desde 2009. Autora dos livros: Patu, uma mulher abismada e La erotica y lo femenino.

 


 
Crítica e Transgressão

 

Flora Sussekind

 

 
 

Jose Almino 

 

Julio Castanon 

 

 
 

Beatriz Castanon 

 

Mônica Gama

Mônica Gama é professora de Teoria da Literatura da UFOP e coordenadora executiva do Fórum das Letras. Doutora em Literatura Brasileira pela USP com tese sobre a autorrepresentação de Guimarães Rosa, com publicações sobre o processo de criação desse autor. Editou números das revistas Caletroscópio, Manuscrítica, Criação e Crítica. Atualmente desenvolve pesquisa sobre diários ficcionais.

 

 


 
O Ensaio Crítico como gênero Literário

Jose Castello 

 

 
jonatan

Jonatan Silva

 

Jonatan Silva é jornalista, crítico literário, escritor, professor e assessor de imprensa. Passou pelas redações da Tribuna do Paraná e Paraná Online. Foi editor da revista Mediação, do Colégio Medianeira. Na mesma instituição, idealizou, produziu e apresentou o podcast MedCast, que tratava de temas que iam da educação à cultura, passando por questões da atualidade e da filosofia.

Atua como professor convidado na especialização e cursos livres da Escola de Belas Artes da PUCPR. Escreve para os jornais Rascunho e Cândido, e para o portal de cultura Escotilha. Colabora com as editoras Rádio Londres e Olho de Vidro, além de ter textos publicados nas revistas Flaubert e Tinteiro, e no jornal RelevO. 

Foi um dos selecionados para integrar a coletânea Parem as máquinas (2020), editada pelo selo OffFlip, em 2020. É autor dos livros O Estado das coisas (2015) e Histórias mínimas (2019), além de desenvolver o projeto de não ficção A Vida dos outros.

 

W. B. Lemos

W. B. Lemos, autor de Rasga-mortalha – poemas dos outros. É Mestre em Literatura Brasileira pela UERJ e Doutor em Literatura Comparada pela mesma universidade.  Ator formado pela Casa das Artes de Laranjeiras, Lemos é Esperando Leitor, palhaço e andarilho literário que se dedica, em especial, a ler e distribuir trechos de obras literário-filosóficas, brasileiras e estrangeiras, nas ruas cariocas.  Devido à repercussão de Rasga-mortalha, premiado pela União Brasileira de Escritores – RJ, teve poemas inéditos publicados no nº 89 da Revista Brasileira, periódico da Academia Brasileira de Letras (ABL). Atualmente Lemos é editor do Versura, selo de poesia da Editora Telha, e coordena a programação literária do Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro.  

eduardo

Eduardo Cesar Maia

Professor do curso de Comunicação Social (CAA) e do Programa de Pós-Graduação em Letras (Teoria da Literatura) da Universidade Federal de Pernambuco. É colunista do Estado da Arte, suplemento de cultura, filosofia e artes do Jornal O Estado de S. Paulo e colabora como articulista na Revista Continente (CEPE Editora). Doutor em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Pernambuco, com estágio doutoral na Universidad de Salamanca (Espanha), tendo desenvolvido tese, com o apoio da CAPES, a respeito da atualidade da tradição crítica humanista através das obras de José Ortega y Gasset e Álvaro Lins. É mestre (2008) também em Teoria da Literatura pela mesma Instituição, com dissertação defendida sobre o pensamento literário e crítico do escritor peruano Mario Vargas Llosa. Possui graduação em Jornalismo pela UFPE (2005). Realizou, ainda, um Máster em Filosofia pela Universidad de Salamanca (Espanha). Editou e foi articulista das revistas Café Colombo, Continente e Crispim, com publicações sobre na área de crítica literária e filosofia. É produtor do programa radiofônico Café Colombo, sobre livros e ideias. É coautor e editor dos livros Pensata (2005), Conversas no Café Vol. 1 (2007), Conversas no Café Vol. 2 (2015) e Sobre livros e ideias (2017); organizou e editou, ainda, os livros Sobre Crítica e Críticos (2013) e Sete Escritores do Nordeste (2016), com ensaios de crítica literária de Álvaro Lins.

 

 


 
Revistas Literárias: desafios e realizações 
 

 

Rogerio Pereira (Jornal Rascunho)

 

 

 

Schneider Carpeggiani (Suplemento Pernambuco) 

 

 

Schneider Carpeggiani - jornalista, doutor em teoria literária e curdador de eventos literários. Atualmente atua como editor do Suplemento Pernambuc e coordena o Selo Pernambuco (Cepe Editora)

 

 

 

 
 

 

Paulo Werneck (451)

 

 


Victor Luiz da Rosa 

victor

 

 

 


 

O Autor Crítico 
andrea

Andréa Catropa

É escritora e publicou pela Editora Patuá o romance "Homens adoram mulheres perfeitas" (2019) e o volume de contos "Sem SItema (2007). Em 2008, estreeou em livro com os pormeas de "Mergulhos às avessas". Integrou coletâneas e atologias no Brasil e no exterior. É doutora em Teoria Literária e nos pós-doc começou a pesquisar as relações entre design, arte e tecnologia. Entre os prêmios que recebeu, estão: Edital de Publicação de Livros de São Paulo, PROAC e Rumos Itaú Cultural. 

Bernardo Nascimento de Amorim

Nascido em 1976, em Belo Horizonte, filho de José e Maria, irmão de Ana, companheiro de Raquel, tio de Antônio e Lia, Bernardo é professor dos cursos de graduação e pós-graduação em Letras da UFOP. Poeta frustrado, tornou-se um estudioso de poesia. É lider do GP_PLiPO - Grupo de Pesquisa sobre Poesia de Língua Portuguesa. Mais recenemente, encontrou o seu lugar no trabalho com as literaturas de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçabique e São Tomé e Príncipe. Bem intenciosado e cheio de contradições, é um sujeito teimoso. 

 

bernardo

 

 


 
Ciclo Jornalismo e Literatura: Recurso Final: a lava jato e o suicídio do reitor de Santa Catarina

 

paulo

 

Paulo Markun

Paulo Markun é jornalista desde 1971. Atuou como repórter, editor, colunista, chefe de reportagem e diretor de redação em grandes veículos de comunicação da mídia impressa: DCI, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo, Jornal da República, Opinião, Jornal da Tarde. Como publisher e executivo de comunicação criou as revistas Imprensa e Radar, a edição paulista do jornal O Pasquim, a newsletter Deadline – sobre negócios da comunicação, o Jornal
do Norte de Manaus e o site  JD, espaço colaborativo que permitia a ampla discussão de temas relevantes. Apresentou o programa Roda Viva por dez anos. De 2007 a 2010 presidiu a Fundação Padre Anchieta, instituição mantenedora da TV Cultura, tendo ampliado  de três para cinco os canais da FPA, com a criação da Univesp TV e do Multicultura, canais digitais. Escreveu 15 livros e dirigiu mais de cem documentários. Vive em Lisboa.

 

 Mario Vitor Santos


 
 

 

 


 
Autoficcção e Autocrítica

Tiago Ferro

Tiago Ferro é editor e escritor. É um dos fundadores da editora de e-books e-galáxia e da revista de ensaios Peixe-elétrico. Colabora regularmente com textos sobre cultura para veículos como as revistas piauíCult, Serrote Suplemento Pernambuco. Mestre em história social pela Universidade de São Paulo, atualmente pesquisa a obra do crítico literário Roberto Schwarz no programa de doutorado da mesma universidade. O pai da menina morta (Brasil: todavia, 2018; Portugal: Tinta da China, 2018; Colômbia: Planeta, 2020), seu romance de estreia, venceu o Prêmio Jabuti categoria romance e o Prêmio São Paulo de Literatura 2019 categoria romance de estreia.

 

juliano

Juliano Pessanha

Juliano Garcia Pessanha é doutor em filosofia (USP) e mestre em psiclogia (PUC-SP). É autor de "O filósofo no porta-luvas" (2021) e "Recusa do não-lugar" (2018).  Publicou ainda "Sabedoria do nunca" (1999), "Ignorância do sempre" (2000), "Certeza do agora" (2002) e "Instabilidade perpétua" (2009), tetratologia reunida em "Testemunho transiente", que recebeu o Prêmio APCA (2015). É professor e dirige grupos de estudo. 

 

 

 

Julián Fuks

Nascido em São Paulo em 1981, Julián Fuks pe escritor e crítico literário. É autor de "A resistência", romance ganhador dos prêmios Jabuti, Saramago, Oceanos e Anna Seghers, e também de "A ocupação", "Procura do romance" e "Histórias de literatura e cegueira", finalistas dos principais prêmios nacionais. É doutor em teoria literária pela USP, e autor do livro de crítica "Romance: história de uma ideia", publicado pela Companhia das Letras em 2021. Seus livros já foram traduzidos para dez línguas e publicados em diversos países. 

julian

 

Emílio Maciel

Emílio Maciel é doutor em literatura comparada pela UFMG, com tese sobre Paul de Man, e professor associado de Teoria Literária no Departamento de Letras do ICHS/UFOP. Publicou textos sobre Marcel Proust, Giacomo Leopardi, Charles Baudelaire, Bob Dylan, Silviano Santiago, entre outros. Desde março de 2020 dirige o curso livre ” O estado da canção”, voltado para a sondagem dos limites, limiares e potencialidades da canção popular.

 

 


 
Ciclo Jornalismo e Literatura: A república das milícias 
bruno

Bruno Paes Manso

 

Bruno Paes Manso, jornalista e pesquisador do Núcleo de Estudos da Violência da USP. Co-autor do livro "A Guerra - ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil" e autor do "A República das Milícias - dos esquadrões da morte à era Bolsonaro, ambos pela Todavia. 

Marta Maia

Marta Maia é graduada em Jornalismo (pela PUC Campinas) e em História (pela Unicamp), doutora em Comunicação (pela ECA/USP), com pós-doutoramento, também em Comunicação, pela UFMG. Atuando em vários projetos de ensino, pesquisa e extensão, é curadora do Fórum das Letras, sempre na área de Jornalismo e Literatura, desde 2010. Lançou, em 2019, o livro Narrativas radiofônicas: memórias da comunidade radiouvinte paulistana (1930-1950) e, em 2020, o livro “Perfis no jornalismo: narrativas em composição”. Também organizou, em conjunto com Mateus Passos, o livro recém-lançado “Narrativas midiáticas contemporâneas: epistemologias dissidentes”. Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Ouro Preto e uma das coordenadoras da Rede de Pesquisa Narrativas Midiáticas Contemporâneas (Renami/SBPJor). Integra o Conselho consultivo da série Novas Diretrizes, da Editora Insular.

 

 

 


 
Tramas da Crítica Literária Contemporânea  

 

lucia

Lucía Tennina (Argentina)

Lucía Tennina é Professora de Literatura Brasileira na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Buenos Aires e Pesquisadora da Comisión Nacional de Investigaciones Científicas y Tecnológicas (CONICET). Formou-se em Letras (UBA), é mestre em Antropologia Social (UNSAM) e Doutora em Letras (UBA). Realizou o pós-doutorado em Estudos Culturais no Programa Avançado em Cultura Contemporânea da Universiade Federal do Rio de Janeiro, onde atualmente é pesquisadora associada. É também pesquisadora permanente do grupo de Estudos em Literatura Brasileira COntemporânea da Universidade de Brasília. É autora do livro ¡Cuidado con los poetas! Literatura y periferia en la ciudad de San Pablo (Rosario, Beatriz Viterbo, 2018/ Porto Alegre, ZOUK, 2017), e organizadora, entre outros, dos livros Saraus. Movimiento/Literatura/Periferia/São Paulo (Tinta Limón, 2014), Brasil Periférica (México DF, Aldvs, 2014/Santiago de Chile, Cuarto Propio, 2016), Quilombo. Cartografía de la autoría negra de Brasil (Tinta Limón, 2020), Polifonias Marginais (junto a Érica Peçanha do Nascimento, Mário Medeiros da Silva e Ingrid Hapke, Rio de Janeiro: Aeroplano, 2016) e Literatura e periferias (junto a Regina Dalcastagnè, Porto Alegre: ZOUK, 2019). Exerce também como tradutora do português ao espanhol de livros de literatura brasileira contemporânea e de ciências sociais. É co-editora de Mandacaru Editorial www.mandacarueditorial.com

 

 

Emiliano Mastache (México)

 

Eiliano Mastache, Universidad Nacional Autónoma de México, Instituto de Investigaciones Filológicas 

Doutor em Literatura Comparada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Brasil. Atualmente, forma parte do Posdoutorado no Instituto de Investigaciones Filológicas da Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM). As suas linhas de investigação saõ: a literatura da escritora mexicana Josefina Vicens e da brasileira Clarice Lispector, arquivos e manuscritos literários, literatura latino-americana e literaturas em língua portuguesa. Entre outras publicações se encuentroam: o livro: Un soplo de vida: La escritura de Clarice Lispector, pensamiento del afuera (México, 2015), artígos diversos e capítulos em livros sobre autores como o argentino Juan Gelman, o poeta chileno Nicanor Parra, o romancista cubano Reinaldo Arenas e Clarice Lispector. Ademais, é tradutor para o espanhol de una antologia de poemas escritos pelo sociólogo portugués Boaventura de Sousa Santos (México, 2017), chamado: En los límites de la paalabra. Antología poética de Boaventura de Sousa Santos.

 

emiliano
 

Lucas Bandeira


Anna Palma 

Doutora em Estudos da Tradução (2010) pela Pós-Graduação em Estudos da Tradução (UFSC) com a tese "La poetica della traduzione di Machado de Assis in italiano: O Anjo Rafael". Atualmente é professora associada da Faculdade de Letras da UUFMG, áreas da Lit. Italiana e Tradução, e suas linhas de pesquisa de interesse são: poéticas da tradução, literatura italiana do século XIX, Literatura Comparada. É subcoordenadora do Grupo de Pesquisa de Tradução de Teatro (GTT/CNPq). Como co-organizadora tem publicado: em 2013 publica, o livro "O Romantismo Europeu: Antologia Bilíngue"; em 2017, a coletânea "Teatro e Tradução de Teatro: Estudos", fruto do I Colóquio Internacional do GTT; em 2019 pelo Vol. II "Teatro e Tradução de Teatro: Monólogos”. Atualmente pesquisa sobre o teatro de Dario Fo e Franca Rame no Brasil.

anna

 

 

 


 
Ciclo Jornalis e Litertura: Lançamento da biografia do "Lula" 

 

fernando

Fernando Moraes

Fernando Morais nasceu em Mariana-MG em 1946. É jornalista desde 1961. Trabalhou nas redações do Jornal da Tarde, Veja, Folha de S. Paulo, Visão e TV Cultura. Entrevistou, entre outros,  Fidel Castro, Dilma Rousseff, Eric Hobsbawm, Julian Assange, Gabriel García Márquez, José Saramago, Luís Carlos Prestes, Lula, entre outros.

No Brasil, escreveu e publicou os livros “Transamazônica”, “A Ilha”, “Olga”, “Chatô”, “Cem quilos de ouro”, “Corações sujos”, “Toca dos Leões”, “Montenegro”, “O Mago”, “Os últimos soldados da Guerra Fria” e “Lula”. Os três primeiros foram convertidos em películas brasileiras de longa-metragem. “Os últimos soldados da Guerra Fria” foi adaptado para o cinema pelo diretor francês Olivier Assayas (“Wasp Network”, atualmente em exibição na Netflix). Recebeu vários prêmios Esso e Abril de Jornalismo,  além dos prêmios da Academia Brasileira de Letras e de melhor livro na Bienal do Brasil. Até o mês de dezembro de 2020 seus livros haviam totalizado cerca de 6 milhões de exemplares vendidos no Brasil e nos demais 36 países em que foram traduzidos.

 

 Miro Borges

 

 

 

* As trasmissões serão realizadas através do canal do Youtube do Fórum das Letras: https://www.youtube.com/channel/UCLpGSkKAbNDLKMaxj6ZRznA